GLF Amazonia 2021

MC

Mari Corrêa

Instituto Catitu

Cineasta

Description

Mari Corrêa é cineasta, fundadora e diretora do Instituto Catitu. Criou o projeto de capacitação das mulheres indígenas no uso de linguagens contemporâneas de produção cultural para potencializar seu protagonismo e valorizar os saberes femininos. Iniciou seu trabalho audiovisual com comunidades indígenas em 1992, no Parque Indígena do Xingu. Em 1998 desenvolveu a metodologia de formação de cineastas indígenas no Brasil, produzindo cerca de 30 filmes de autoria indígena. Como cineasta seus principais filmes são  Quentura, Para onde foram as andorinhas?, Xingu, o Corpo e os Espíritos, “Voix Indiennes, “Pirinop – Meu Primeiro Contato” e De volta à terra boa. O Instituto Catitu é uma organização sem fins lucrativos que tem como objetivo estimular o empoderamento de mulheres e de jovens indígenas, enfatizando o papel essencial dos conhecimentos, práticas e visões de mundo de seus povos, por meio de projetos de formação multimídia, da produção de filmes, da criação de núcleos de documentação digital nas aldeias e de intercâmbios interculturais.

Carregando